Época de Pentecoste

ÉPOCA DE PENTECOSTES

Cada época tem sua essência o importante é se conectar com o que faça sentido verdadeiramente para nós, isso é individual, só assim podemos alcançar as crianças, na escolha em como vamos vivenciar esse momento com elas.

Na Páscoa as crianças viveram a procura, a transformação de algo interior e agora, em Pentecostes, é momento de sair para o mundo, perceber e trabalhar com e para o outro, ter empatia e conviver harmoniosamente com as diferenças.

Na pedagogia Waldorf buscamos vivenciar essa essência através de imagens e o que vive em cada professor. 

Em Pentecostes, a luz que surgiu na Páscoa, se torna para o homem o fruto do seu agir. As forças de Pentecostes atuam na alma de cada indivíduo, permitindo a cada um de nós reconhecer a singularidade de cada ser humano, e é através da diversidade de cada um que se encontra a qualidade do Amor, que une toda a Humanidade. 

É importante que cada comunidade na qual todos os homens, independente de família, nação, religião vivam na plenitude do amor fraternal.

Com isso a comunidade humana é o que, antes de tudo, deve ser vivenciado, como a vivência social atualmente está limitada, ela deve ser trazida para dentro de casa. 

Para vivenciar sentimentos tão intensos utilizamos, entre outras, a imagem das profissões, nas quais cada um ao seu modo contribui para o bem do todo. Em músicas, gestos, canções em outras línguas, brincadeiras que relatam outros costumes, incluindo os indígenas, trabalhos manuais onde o resultado seja para uso de todos, brincadeiras que possam perceber suas diferenças como qualidades individuais.

Nas salas do jardim são feitas propostas de brincadeiras que desafiam as habilidades das crianças, por exemplo, onde elas possam exercitar o trabalho em equipe, a empatia com os colegas e o senso de motivação em grupo.

No maternal, as crianças vivenciam atividades que evidencia o senso comunitário, onde cada um faz sua parte e vê o resultado de forma integrada.

MUSICAS E BRINCADEIRAS 

Bom dia em várias línguas

Bom dia! Bom dia! linda luz do sol 
Bom dia! Bom dia! linda luz do sol 
Buenos días! Buenos días! 
Luz del sol,
Good morning! Good morning! 
Pretty sunshine light
Buongiorno! Buongiorno! 
Bella lucce del sole
Guten Morgen! Guten Morgen!
Liebe Sonne schein
Bonjour! Bonjour!  
Lumiere du soleil,

Costumamos ir acrescentando aos poucos cada língua (áudio pelo grupo) ou escolher uma ou duas línguas que tenha mais facilidade em falar.

Seria importante também escolher músicas que vocês gostem em outra língua e cantar junto com eles, principalmente se trouxer uma atmosfera de amor ou união dos povos. 

Oreru nhamandú

Oreru nhamandú tupã oreru Oreru Nhamandú Tupã Oreru Oreru Nhamandú Tupã Oreru Nhamandú Tupã Oreru.

Disco: Ñande Reko Arandu ”Memória Viva Guarani” Texto do disco: “Este álbum resgata a cultura do povo Guarani com o cântico das crianças evocando o espírito ancestral em cada um de nós e, deixando claro a importância dos cânticos em cada situação de nossa existência”.

Foi tupã

Foi tupã
Foi tupã, foi tupã,
Sou tabajara
Sou tabajara da terra de tupã,
Tem papagaio, arara maracanã
Todas aves do céu
Quem nos deu foi tupã.
Foi tupã, foi tupã, foi tupã.

Brincadeira de mãos – Um índio passou por aqui?

Indicada para crianças do maternal – para fazer em dupla.

 Brincadeira andar de jeito diferente 

 Brincar de trem dando boas vindas aos passageiros que podem ser pessoas com profissões diferentes, nacionalidades ou lugares como casa dos amigos, escola, casa dos parentes ou cidades diferentes pelo mundo. (áudio com música do trem)

TURMA DO MATERNAL

HISTORIA

A Beterraba

Certo dia o vovô plantou uma beterraba e disse-lhe:

– Cresça beterraba, cresça e fique bem doce! Cresça beterraba, cresça e fique bem forte!

A beterraba cresceu – doce, forte e grande… enorme!

O vovô então foi retirá-la da terra. Puxava, puxava, mas não conseguia retirá-la…

O vovô então foi chamar a vovó para lhe ajudar.

A vovó segurou no vovô, o vovô segurou nas folhas da beterraba, e puxaram… puxaram… mas não conseguiram retirar a beterraba da terra.

Então a vovó foi chamar a netinha para ajudá-los.

A netinha segurou na vovó, a vovó segurou no vovô, o vovô segurou nas folhas da beterraba, e puxaram, puxaram… mas não conseguiram arrancar a beterraba da terra.

A netinha então foi chamar o cachorrinho para ajudá-los. O cachorrinho segurou na netinha, a netinha segurou na vovó, a vovó segurou no vovô, o vovô segurou nas folhas da beterraba, e puxaram, puxaram, puxaram… mas não conseguiram arrancar a beterraba da terra.

O cachorrinho então foi chamar o gatinho para ajudá-los. O gatinho segurou no cachorrinho, o cachorrinho segurou na netinha, a netinha segurou na vovó, a vovó segurou no vovô, o vovô segurou nas folhas da beterraba, e puxaram… puxaram… puxaram… mas não conseguiram arrancar a beterraba do chão…!

O gatinho então foi chamar o ratinho para ajudá-los!

O ratinho segurou no gatinho, o gatinho segurou no cachorrinho, o cachorrinho segurou na netinha, a netinha segurou na vovó, a vovó segurou no vovô, o vovô segurou nas folhas da beterraba e puxaram… puxaram… puxaram… e PLUFT! Conseguiram arrancar a beterraba da terra!

(Assopro fazendo o som de vento): O vento contou, soprou e espalhou: todos juntos somos mais fortes!”

O mingau doce

(Conto dos irmãos Grimm, traduzido por Ruth Salles)

Era uma vez uma menina pobre e piedosa que morava com sua mãe, e as duas já não tinham mais nada para comer. Então a menina foi à floresta. Estando lá, veio ao seu encontro uma velha que sabia de sua miséria.

A velha lhe deu uma panelinha à qual ela devia dizer: “Panelinha, cozinha!”. E ela então fazia um gostoso mingau doce de milho miúdo. E, quando se dizia “Panelinha, para!”, ela parava de cozinhar.

A menina levou a panela para casa, deu à sua mãe, e agora elas estavam livres da pobreza e da fome e comiam mingau doce sempre que quisessem. Uma vez, a menina saiu, e a mãe disse: “Panelinha, cozinha!”. Ela cozinhou, e a mãe comeu até se fartar. Nisso, ela quis que a panelinha parasse de cozinhar, mas não sabia que palavras dizer. Então, a panelinha continuou cozinhando, e o mingau derramou-se da beirada da panela para fora e encheu a cozinha, e a casa toda, e mais a casa vizinha e mais a rua, como se quisesse que o mundo inteiro comesse até se fartar. E foi uma complicação, e ninguém sabia o que fazer para ajudar.

Por fim, quando só faltava uma casa para encher de mingau, a menina chegou de volta, e foi só ela dizer “Panelinha, para!”, que a panelinha parou de cozinhar; mas quem quisesse ir à cidade, precisava abrir caminho comendo.

ATIVIDADES MANUAIS

Móbile do Divino

Enviamos alguns materiais para confecção de um móbile ou estandarte do Divino.

A pomba representa o símbolo de Pentecostes e as fitas coloridas, nas festas populares, fazem referência aos dons do Espírito e as suas virtudes, irradiadas para toda humanidade.

Sintam-se livres para acrescentar miçangas e outros materiais para ornar.

Anexamos um modelo, mas desejamos que possam se inspirar e criar a partir do que esta época ressoa dentro de cada um. 

Receitas que usem beterraba

As histórias que sugerimos trazem alguns alimentos como parte das imagens. Fará muito bem para a criança vê-los presentes em outros momentos do dia, como nas refeições e no brincar. Trazemos a seguir algumas ideias.

Sugerimos repetir toda semana, pois a repetição é muito saudável para a criança pequena, trazendo segurança e ritmo.

Inspirações: 

Tinta com beterraba (para pintar livremente com as mãos)

Ingredientes:

4 beterrabas pequenas;

1 copo americano de água;

1 colher se sopa de vinagre;

1 colher de sopa de álcool em gel;

1 colher de sopa de polvilho.

Como preparar:

Pique as beterrabas com casca e tudo. Bata no liquidificador com a água. E coe num pano ou coe numa peneira bem fina. Ponha esse caldo numa panela e acrescente o polvilho e o vinagre. Dissolva bem e leve ao fogo. Assim que levantar fervura, deixar em fogo baixo por 3 minutos, depois desligue o fogo. Em seguida, ponha a colher de álcool em gel. Assim, fixa bem a tinta nas superfícies. Espere esfriar para utilizar. Inicie a pintura, evitando explicações sobre a atividade. A criança pequena adora (e precisa) imitar o adulto, se sentindo inspirada pelo gesto que observa, com liberdade de também trazer o movimento dela.

Bolo de beterraba (Receita enviada por Renata Grecco)

3 beterrabas pequenas (crua) em cubos

2 ovos

75ml de suco de limão 

1/4 xic de óleo vegetal 

4Bater tudo no liquidificador 

Juntar:

1 1/2 xic de farinha de trigo

1 xic de açúcar 

1 col de chá de fermento em pó

4Misturar tudo em uma vasilha, despejar em uma forma untada e enfarinhada e leve ao forno 180 graus, aproximada 30 min ou até espetar a faca e sair limpa.

Cobertura (opcional):

1/2 xic de chocolate em pó

1/2 xic de açúcar 

2 col sopa de manteiga

1/4 xic de leite

4Colocar em uma panela e levar ao fogo até formar uma calda! Despejar sobre o bolo e servir.

TURMA DO JARDIM

ATIVIDADES MANUAIS

Tapete de Pompom

Tinha planejado em fazer um tapete composto por pompom feito por eles.

Essa atividade ainda será possível cada um faz alguns pompons e depois unimos (posso recolher os pompons e montar o tapete ou, se já estivermos voltado, realizarmos com eles no Jardim).

Esse é vídeo para os adultos aprenderem a fazer. 
Sentem com eles monte um kit para o adulto e outro para a criança.

O adulto faz e a criança vai imitando,Para aquelas que já conseguem fazer facilmente como as de 6 anos peça que tente contar quantas voltas são necessárias para preencher o papelão. Além da possibilidade visível da contagem ela também vai buscar mais concentração no que está fazendo.

Homem de mãos dadas

Sempre construímos algo com eles para decorar ou levar para casa. Não encontrei nem um vídeo da forma como faço para que fique imagens femininas e masculinas na corrente humana. Faço o recorte em formato feminino e depois retiro as pontas das saias. As crianças podem pintar cada um com uma cor, pode também fazer colagem e adicionar características diferentes a cada imagem.

Para facilitar desenhem o que as crianças vão recortar. Pode também fazer correntinhas de corações.

Montar se não tiver ainda, um cantinho com fotos da família. parentes, amigos, com todos aqueles momentos que esteve em comunidade,

Atividade para as crianças de 5 a 6 anos 

Aqui os pais podem ser o escriba da criança, (dica escrevam em letra BASTÃO) 

– Pedir para as crianças recontar histórias ouvidas, (e o adulto escreve o que ela contar) Pode fazer um lindo desenho da história. 

-Pedir para relatar fatos importantes sobre seu nascimento ou alguma história dos seus familiares ou da sua rua.

Caso eles não saibam aproveitem para contar.

HISTÓRIA

Sugestões de Contos

Costumamos escolher um conto para contar durante toda a época, não lemos e nem usamos livros.  Contamos oralmente a mesma história por quatro semanas, sei que alguns devem estar se perguntando o porquê nesse momento, são muitas as justificativas para tanta repetição, um dos motivos e possibilidade de a criança vivenciar  os personagens e seus arquétipos , cada a cada vez que contamos ( e como se a cada vez pudesse entrar um pouco mais na história). 

Certamente vocês já devem ter recebido pedidos das crianças para contarem uma história, alguns chamam de inventadas ou da vida real.

Experimentem esse caminho de internalizar uma história 

Ler a história uma vez, pois percebem (anotem) todos os objetos e pessoas contidos nessa história, leia novamente verificando se esqueceu de algo, agora desenhe um fluxo da história, como um pulsar de um batimento cardíaco, onde ocorre o pico da história, onde acelera onde pulsa mais lento, leia mais uma vez, construa o contrafluxo e escolha uma imagem e acerca-se dela. Faça relações das imagens e elabore perguntas. Se precisar leia mais uma vez, é possível que agora consiga contar essa história sem ler.

Não é que as crianças não gostam quando leem para ela, esse também é um movimento importante afinal um dia elas também serão leitoras, é que quando você conta vai ali um pedacinho de você.

Outra coisa fundamental, não contém histórias que vocês não gostem, porque quem conta vivencia a história. 

Alguns contos dos irmãos Grimm recomendados:

– A Gata Borralheira: nesse conto, as pombas (que são representações do Espírito Santo) ajudam a distinguir entre o bem eo mal, e sabem quem é a verdadeira noiva.

– As três línguas: por causa da sabedoria das pombas, o culto pode ser celebrado. 

http://www.festascristas.com.br/ascensao-entecostes/pentecostes-historias

Tem duas histórias que gosto muito, elas fazem parte do livro: O Livro das Virtudes para crianças (enviar em PDF)

– O Pequeno Herói da Holanda (p12)

– A lenda da Concha (p77)

CANTINHO DA ÉPOCA 

Para fazer uma mesa ou um cantinho especial segue algumas imagens para inspirações.

Pentecostes é a festa da liberdade e do amor, é uma festa que abre as portas para o futuro. Sua cor é o amarelo que quer iluminar tudo.

 

Quer realizar a Pedagogia Waldorf em sua casa?

One thought on “Época de Pentecoste

  1. Sim gostaria muito de conhecer mais sobre a pedagogia Waldorf parapoder aplica-la em minha casa.
    Somos de Poços de Caldas do interior de Minas Gerais e aqui não temos nenhuma iniciativa Waldorf, mais venho encantada com tal pedagogia maravilhosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *